Monthly Archives: November 2013

Marcelo Jeneci – De Graça – 2013

(já peço desculpas pelo texto enorme e por não ser direta ao cd “De Graça”. mas Jeneci é muita história dentro de mim. linhas e linhas.)

Sim. De Graça parece ser a expressão certa quando pretendo falar não somente deste novo trabalho, mas sim sobre o Jeneci e tudo o que ele vem representando dentro da minha história com a música nos últimos anos.
O conheci através do ‘Show Livre’ e me apaixonei logo de cara pelo som dele e pela voz linda da Laura (e lembro que vi o Richard Ribeiro no vídeo e falei “pow, mas ele toca com todo mundo?? “ rsrsrs). Era tipo hipnose, de você voltar o vídeo, ir procurar mais informações sobre, música, quando, onde. Então soube que na mesma época ele estava para lançar seu primeiro trabalho solo, e eu nem ao menos sabia que ele era responsável pela música “Amado” que a Vanessa da Matta canta, e era/sou super apaixonada por esta música. E nem que este artista já tinha anos de estrada, já tinha corrido por muitos palcos ao lado de muitos artistas super admirados e respeitados. Que ele saiu do ‘back’ para virar o ‘front’.
Tive a sorte de estar presente naquele segundo dia de lançamento, era dia 17 de novembro de 2010 e ainda vê-lo junto com o Marcelo Camelo no palco (no dia 16 era o Arnaldo Antunes e nos dois dias a Tulipa Ruiz era convidada e cantou a música “Dia a Dia, Lado a Lado” – uma que sinto saudades de ouvir ao vivo…).

Foto: Ana Clara Martins Tenório/2012

Foto: Ana Clara Martins Tenório – 2012

Sai de lá encantada, querendo já a agenda completa e vendo como dava para encaixar os shows na vida corrida de trabalhar de madrugada. E em muitos momentos deu super certo. Lembro de uma noite em especial, era show do Curumin na Augusta, e ele iria tocar junto…final de show, ele estava encostado em um canto aguardando o pessoal ir embora e pensei “é, aproveita que mais a frente não será tão fácil ficar neste sossego!”.
E cá estamos em 2013. Onde dia 15 de novembro, novamente novembro, ele fará o lançamento de seu disco. Três anos onde muitos altos e baixos aconteceram nesta roda Jeneci-show-Ana, mas que agregou muitos artistas que conheci através dele ou por causa dele (e virou aquela bola de neve, onde conheço um por conta de outro, e outro por conta daquele, etc.).

Tudo de graça.
Tudo de coração aberto.
Isto que sinto neste novo trabalho dele.
Coração aberto para experimentar, para ousar, se jogar, criar.

Sobre o DE GRAÇA

Confesso que estava um pouco receosa quanto a este trabalho novo. Um pouco ao menos. Devido mudanças exteriores do artista, não sabia até que ponto isto estaria no sentido musical e se estaria. Não sei, talvez aquele medo de não conseguir ‘encontrar’ o músico, a banda, o som no novo trabalho. Claro que o poder das redes sociais neste sentido foi forte e ótimo, pois um pouquinho do que vinha era mostrado, e talvez estar receosa ou com medo era pura bobagem do desconhecido ou talvez do novo (ou eu estava me sentindo o artista no sentido do segundo cd, do ‘e agora, será que vai, será que vão gostar como do primeiro, será que vão entender a mensagem que quero passar?’).

O CD foi disponibilizado mas no dia não me senti a vontade para ouvir. Não estava naqueles dias de prestar atenção em alguma coisa, então preferi esperar um dia q’eu simplesmente iria clicar o play e deixar rolar, sem pressão, sem “tem que ouvir porque todo mundo tá ouvindo”. Aqui as coisas tem que acontecer num determinado momento. E ele vai chegar, cedo ou tarde. Tem vezes que só chega em dia de show. Ou na hora do show mesmo. Normal.
Começa então a tocar “Alento”, primeira faixa. E que Alento!
Aqui uso todas as definições que encontrei:

“fôlego, respiração, bafo, ânimo, resistência, coragem, esforço, valor, alimento, nutrição, sustento, aragem, sopro, poética Inspiração, estro”

E sim gente. É tudo isto este primeiro sopro, tudo que senti. A própria melodia de início já te leva para algum lugar dentro do trabalho e cabe a cada um ver aonde irá parar. Ouvindo e re-ouvindo é de longe uma das minhas preferidas.
Nota-se no decorrer das faixas o cuidado que se teve com cada letra, melodia, onde poderia ter isto ou aquilo.
De Graça que é uma boa para dançar de faz pensar nos últimos shows realizados, que ele se empolgava mais, queria que todo mundo dançasse, que levantassem das cadeiras (ou como no Auditório e SESC Bom Retiro, que invadisse o palco…rsrsr). Apenas acho que ser logo após “Alento” não foi uma boa escolha…deveriam ter feito como no primeiro cd onde “Show de Estrelas” era seguida de “Pense Duas Vezes Antes de Esquecer”, duas bem dançantes. Talvez se fosse antes ou depois de “Sorriso Madeira” seria uma ótima.
Ouvindo música por música você sente aquela leveza como tinha de ser. Saca aquele vento agradável que às vezes ronda, faz aquele giro e vai embora? Então, imagine este vento durante uns 50 minutos, as vezes apenas soprando no ouvindo, outras vezes te convidando para dançar….

Foto: Ana Clara Martins Tenório - 2011

Foto: Ana Clara Martins Tenório – 2011

E a Laura minha gente! Vou aqui abrir um espaço pra falar desta moça super simpática e do sorriso largo. Que faz bem mais do que dançar e cantar no palco. Entre muitas músicas e coros no disco, “Tudo Bem, Tanto Faz” mostra um crescimento enorme desta pequena-grande mulher. Ela canta e te suga nesta música…você fecha os olhos e já a imagina no palco, com aquele holofote apenas nela enquanto a Orquestra aos poucos vai aparecendo (e que casamento desta Orquestra com esta música! Linda!). Acho muito bonito quando podemos acompanhar este tipo de crescimento, quando cantores/as resolvem abrir sua voz, fazer novos experimentos e acertar. Palmas em pé para esta composição do trio Jeneci-Laura-Arnaldo Antunes.
Alguns pontos de algumas músicas também nos remetem ao Erasmo, Roberto, Mutantes, Guilherme Arantes e gostei de novamente poder visualizar isto no De Graça, ver que isto é enraizado mesmo e que pode ser a sua influência, mas tem um toque ‘a La Jeneci’. Que ele conseguiu ter este toque que o diferencia (e não apenas a sanfona, que era o diferencial quando ele apareceu).

Fico realmente feliz em ver os rumos que este novo trabalho está tomando. Também escutei o trabalho de coração aberto para o que viria, curiosa e muito em ver também o que o pessoal iria achar. Principalmente aqueles que conheço e que o acompanha/acompanhava na mesma intensidade que eu.
É bom ver que “foi só mais um temporal” algumas passagens da vida dele e que ele soube se reerguer através deste trabalho que é mais que de Graça. É com a alma.

E eu paro aqui. Sou capaz ainda de falar mil e outras coisas. Mas deixo para o show de lançamento, que eu pretendo estar presente para visualizar tudo que falei e pensei.

Deixo aqui uma super entrevista realizada pela CBN de Recife, super esclarecedora sobre o De Graça. Onde muitos pontos de cada música são mostrados e influências decifradas.

http://www.superclip.com.br/sistema/materia.cfm?cod=418116

Tagged , ,